21
Mai 14

No Portugal pós-terramoto de 1755, Marquês de Pombal constata que o negócio dos panos, um negócio em que depositou grandes esperanças, nomeadamente na construção da Real Fábrica de Panos de Portalegre, estava a fracassar. Portugal estava a atrasar-se, em meios tecnológicos, em relação a outros países europeus, que faziam o tecidos num menor espaço de tempo e em mais (...)


Para seguir no blogue Marcador de Livros

publicado por saidaemergencia às 09:40

Novidades