01
Mar 12

 

A pulp fiction portuguesa nunca existiu. A pulp fiction portuguesa nunca existiu assim. Esta compilação de contos (fac-similiados) dos vários autores que ergueram, continuaram e assistiram à morte do género em Portugal é um logro completo. Estas pessoas - os escritores malditos, expatriados, e aristocráticos; os editores ambiciosos e pouco escrupulosos - e as histórias à volta deles são pura obra de ficção. Esse será o trabalho mais espantoso que se encontra neste livro que afinal colecciona contos bem recentes (descobertos num concurso) que emulam a escrita fantasiosa e/ou violenta, de consumo rápido e descartável, famosa antes do advento da televisão. Luís Filipe Silva, o homem por trás de "Os Anos de Ouro da Pulp Fiction Portuguesa", engendra pequenas biografias dos autores fictícios, erigindo um universo (paralelo) tão fantástico, excitante, sensacionalista e cheio de volte-faces quanto a própria pulp fiction. Ou seja, acaba por ser mais (...)

Para seguir em numa paragem do 28.

publicado por saidaemergencia às 17:20

Novidades