12
Jan 12

8jy_DavidSoares3.jpg - 283x414 - 62.96 kb

É com muito gosto que vos apresento a segunda entrevista feita ao David Soares para o blog Morrighan. Desde que o entrevistei pela última vez, muito já se passou e há pouco tempo o autor anunciou que tinha um novo projecto em mãos. Fiquemos então com o balanço dos últimos dois anos de David Soares e com algumas pistas para o que o futuro nos espera em relação ao mesmo. (Podem ler a primeira entrevista AQUI)

1 - Já passaram quase dois anos quando deste a primeira entrevista ao blog Morrighan. Entretanto fizeste mais algumas publicações, incluindo um álbum de BD. Decorreu bastante tempo desde que editaste Banda Desenhada em Portugal pela última vez. Que feedback tens tido do "É de Noite que Faço as Perguntas"?

Desde a entrevista anterior escrevi "A Luz Miserável", um livro de contos, "Batalha", um romance, e "É de Noite Que Faço as Perguntas" e "O Pequeno Deus Cego", dois álbuns de banda desenhada. Todos tiveram excelentes críticas, o que consiste para mim uma grande alegria.
O álbum "É de Noite Que Faço as Perguntas" tem surpreendido quem acreditava ser impossível escrever uma historia autoral e pertinente sob convite institucional: ora, eu como não sabia que era impossível, meti mãos-à-obra e fi-lo. À superfície é uma ficção passada no período da primeira república portuguesa, mas observado por outro ponto de vista percebe-se que também é um libelo anti-autoritário. É o meu contributo de bom republicanismo para alumiar este tempo autoritário em que vivemos, no qual a Hungria vive uma Primavera fascista e a Bielorrússia já "nacionalizou" a Internet.
Pode achar-se que a distância geográfica e cultural que separa a (...)

Para seguir no blogue Morrighan.

publicado por saidaemergencia às 10:54

Novidades