29
Dez 11

Gloria_Traidores.jpg - 175x251 - 11.43 kb

Após acabar o 5º livro (primeiro volume do 3º livro na versão original) comecei este cheio de expectativas visto que Martin tem deixado sempre o melhor para o fim. Mas conseguiria este 6º livro ser melhor que o anterior? Conseguiria ser tão bem construído e consistente? A resposta é "sim".

Martin consegue neste livro um efeito em mim que não esperava alcançar a meio de uma saga, porque se este é o fim do 3º livro e possivelmente serão 7, então ainda nem a meio vou! Mas já voltamos a este assunto, primeiro vamos ao porquê de o livro ser realmente tão bom, e o preferido da grande maioria das pessoas que lê esta saga.

Na minha opinião, até ao livro anterior, esta saga tinha sido sobre personagens. Apesar de a história ser muito boa, o que marcava a diferença eram as personagens, tudo o que engloba as suas personalidades, a "profundidade" que Martin alcançara. É isso que eu mais recordo, alguns pensamentos, algumas decisões, é isso o tema de conversa com os meus amigos. Mas, neste livro é diferente. A qualidade das personagens mantem-se, Martin já mostrou que não deverá falhar nesse aspecto, mas a história apesar de muito boa, era quase secundária em qualidade, tal é realmente a qualidade das personagens. Agora a história eleva-se a um novo patamar, destruindo, em muitos casos, aquilo que fomos construindo na nossa mente nos livros anteriores. Martin volta a arriscar, volta a surpreender e neste momento a questão é se irá parar, ou se um dia eu irei ler as suas páginas e pensar "isto foi (...)

Para seguir no blogue Ler y Criticar.

publicado por saidaemergencia às 17:44

Novidades