19
Out 11

Rei_do_Inverno.jpg - 180x269 - 84.17 kb

Tudo começou com uma criança nascida numa noite de Inverno. Eram tempos sombrios para a Bretanha, com Merlim ausente e Artur banido do reino. Mas os verdadeiros problemas começam com a morte de Uther Pendragon, deixando uma criança indefesa num trono rodeado de inimigos. Tempos difíceis em que a figura de Artur construirá a sua fama, erguendo um sonho de paz... ameaçado, por vezes, pelos seus próprios erros.
Se há história que muitas vezes foi contada e adaptada, essa foi a da lenda arturiana. Mas o que Cornwell constrói neste livro é uma visão bem diferente do sobejamente conhecido enredo de magia e cavalaria. Esta é uma visão real, dura, concreta, de tempos igualmente duros, onde a crueldade anda de mãos dadas com os mais elevados valores e onde até a mais pequena das escolhas tem consequências. E Cornwell desenvolve este cenário de uma forma magistral.

Bastante pormenorizado, principalmente a nível de batalhas, a criação dos ambientes e das circunstâncias é precisa e completa, evocando uma imagem mental muito clara. A visão dos acontecimentos é realista: se a crença nos deuses de cada um é um elemento inevitável, são os homens quem, apesar de tudo, molda o decorrer dos (...)

Para seguir no blogue As Leituras do Corvo.

publicado por saidaemergencia às 17:07

Novidades