14
Dez 10



O que fazemos quando receamos que a dor e o sofrimento levem a nossa mente a apagar as memórias daquele que amamos um dia e agora nos deixou?

Contamo-las a quem as possa perpetuar sem que os seus sentimentos delas o procurem defender.

É esse o móbil de "Uma Noite Em Lisboa", último romance do incontornável Erich Maria Remarque, uma dessas mentes brilhantes que o regime NAZI fez sangrar para fora da Alemanha. Tudo acontece em Lisboa, quando um refugiado (...)

Para seguir no blogue O Papiro de Seshat.

publicado por saidaemergencia às 15:19

Novidades