04
Mar 13

O prólogo de Inocência Perdida é o exemplo perfeito dos dons de Nora Roberts.

Há muito poucos autores que conseguem pegar em três páginas e meia e construir uma introdução com Passado, Presente, possível Futuro, sedução, frustração, sensualidade e horror. Ainda não tinha lido mais nada e Nora Roberts já me dava a provar o que me iria dar em grandes quantidades (...)

Para seguir no blogue Algodão Doce para o Cérebro

publicado por saidaemergencia às 17:19

Novidades